44 Dicas Rápidas de SEO que vão Elevar seu Ranking no Google

Todos nós que nos aventuramos no mundo do SEO uma hora ou outra chegamos a conclusão de que acompanhar e trabalhar todos os fatores de SEO em nossos sites ou de clientes é uma tarefa praticamente impossível.

São centenas de fatores.

Só o Google considera aproximadamente 200 fatores para o rankeamento dos sites nos seus resultados de pesquisas.

Porém, você não precisa trabalhar todos esses fatores de SEO. Precisa apenas trabalhar mais do que o seus concorrentes.

Trabalhando poucos e bons fatores aliados a boas práticas já será suficiente para se posicionar bem nas SERPs (páginas de resultados dos mecanismos de pesquisa).

Pensando nisso, separamos uma lista de 44 dicas rápidas de SEO On-Page e Off-Page fundamentais que realmente vão elevar o seu posicionamento nos mecanismos de busca.

MINI CURSO GRÁTIS

Pinterest Marketing para Iniciantes

Se você tem um negócio na internet seja como afiliado ou um e-commerce, fique ligado, pois estará diante de um oceano azul ainda inexplorado!

Dicas Rápidas de SEO On-Page

1. Tags de Título

Seu título deve conter entre 10 e 70 caracteres.

Certifique-se que o seu título seja explícito, que contenha suas palavras-chave mais importantes e que cada página tenha um título único.

Tags de Título são usadas para construir a lista de resultados de pesquisa, os motores de busca podem criar a sua própria se estas não estiverem presentes, não estiverem bem escritas ou não forem relevantes para o conteúdo da página.

Tags de título são cortados se estes forem muito longos, por isso é importante manter-se dentro dos limites sugeridos.

2. Tags de Meta Descrição

Sua meta descrição deve conter entre 70 e 160 caracteres (espaços incluídos).

Certifique-se de que sua meta descrição expresse bem o conteúdo de sua página, que seja criativa para chamar a atenção dos usuários e levá-los a clicar em seu link na busca e que contenha suas palavras-chave mais importantes.

Verifique a sua conta do Google Search Console (clique “Aspecto da pesquisa” e depois “Melhorias de HTML” para identificar quaisquer problemas que possa ter com as suas descrições.

Por exemplo, podem ser muito curtas/longas ou podem estar duplicadas em mais de uma página.

Tags de Meta Descrições são usadas para construir a lista de resultados de pesquisa, os motores de busca podem criar a sua própria se estas não estiverem presentes, não estiverem bem escritas ou não forem relevantes para o conteúdo da página.

Tags de Descrições Meta são cortadas se estes forem muito longos, por isso é importante manter-se dentro dos limites sugeridos.

3. Tags de Cabeçalho

Estruture seu site usando tags de cabeçalho ou headings tags (<H1> à <H6>).

Use palavras-chave nos headings e certifique-se de que o primeiro nível (<H1>) inclua suas palavras-chave mais importantes. Nunca duplique a sua heading tag.

Embora seja importante garantir que cada página tenha uma tag H1, nunca inclua mais do que uma por página.

Em vez disso, utilize várias tags de acordo com o conteúdo, divida os títulos em cabeçalhos por importância de H1 à H6.

4. Consistência de palavras-chave

Para melhorar a possibilidade de ter um ranking alto usando uma palavra-chave específica, certifique-se de incluir as mesmas em alguns ou em todos os seguintes:

  • URL da página;
  • Conteúdo da página;
  • Titulo da página;
  • Meta descrição;
  • Tags de cabeçalho;
  • Atributos alt de imagens;
  • Texto dos links internos;
  • Texto dos links dos seus backlinks.

5. Densidade de palavras-chave em seu conteúdo

Distribua a sua palavra-chave principal ao longo de seus artigos, páginas de vendas, landing pages, dentro de uma densidade balanceada (geralmente entre 2% e 4%).

Dessa forma, você sinalizará aos mecanismos de busca que aquele artigo específico refere-se aquela palavra.

Porém, cuidado! Ter uma densidade muito alta (acima de 5%) pode sugerir que você esteja empregando técnicas artificiais em sua estratégia de SEO, ou seja, tentando enganar os mecanismos de busca para conseguir posições melhores e seu site pode ser punido.

Para evitar isso é importante não usar apenas a palavra-chave exata, mas também tipos de correspondência e sinônimos.

Isso faz sentido, pois num texto escrito de forma natural, sem qualquer pretensão de ranqueamento na Internet, é difícil uma palavra ser repetida várias vezes na correspondência exata.

Utilize singular, plural, sinônimos. Em frases chave, altere as preposições “de” e “para” (Ex.: dicas rápidas de seo, dicas rápidas para seo).

6. Atributo Alt

Utilize um texto alternativo ou atributo alt em todas as suas imagens, se possível contendo suas palavras-chave importantes.

Texto alternativo (atributo alt) é usado para descrever imagens para dar aos motores de busca (e invisuais) mais informações para ajudá-los a entender as imagens e podem ajudar a ser listadas no Google Imagens como resultado de busca.

7. Quantidade de links e Links Nofollow

Enquanto não há nenhum limite exato para o número de links que você deve incluir numa página, a melhor prática é evitar superior as 200 ligações.

Considere utilizar links internos com palavras-chave relevantes ao seu nicho e links externos para sites de qualidade e bem posicionados.

Links passam valor de uma página para as outras, mas a quantidade de valor que pode ser passado é dividido entre todos os links numa página.

Isto significa que a adição de ligações desnecessárias irá diluir o valor potencial atribuído aos seus outros links.

Utilizar atributo (rel=”nofollow”) impede o valor de ser passado para a página de ligação, mas é importante notar que estas ligações ainda são adicionadas à equação no cálculo do valor que é passado através de cada link, o que significa que nofollow links podem também diluir o seu pagerank.

8. Links quebrados

Links quebrados enviam utilizadores para páginas não existentes.

Estes prejudicam a usabilidade e reputação do seu site e ainda o seu SEO.

Se encontrar links quebrados no futuro, dedique tempo para substitui-los, redirecioná-los utilizando redirecionamentos 301 ou removê-los.

9. Com WWW ou Sem WWW

Redirecionar solicitações de um domínio não preferencial é importante porque os motores de pesquisa consideram URL com e sem “www” como dois websites diferentes.

Utilize redirecionamento 301 para escolher qual a versão de sua preferência.

10. Robots.txt

Um arquivo robots.txt permite a você limitar o acesso dos robôs de buscadores que rastreiam a web e impedir o acesso desses robôs a diretórios e páginas específicas.

Este arquivo também especifica onde o arquivo XML sitemap esta localizado.

Pode verificar se há erros no seu arquivo robots.txt usando o Google Search Console selecionando “Rastreamento” e depois “Testar robots.txt”.

Isso também permite testar páginas individuais para se certificar que o Bot do Google tem o acesso adequado.

11. XML Sitemap

Um Sitemap lista as URLs que estão disponíveis para rastreamento e pode incluir informações adicionais como última atualização do seu site, a frequência de mudanças e importância.

Isso permite aos motores de pesquisa rastrear o site de forma mais inteligente.

É também uma boa prática para especificar a localização do sitemap no seu arquivo robots.txt.

É importante incluir apenas as páginas que deseja que os motores de busca rastreiem, por isso evite algumas que tenham sido bloqueadas através do seu arquivo de robots.txt.

Verifique as URLs para garantir que nenhuma delas causem redireções ou retornem erros de código.

Isto inclui ser consistente com os seus URLs, por exemplo, incluir os seus URL preferenciais (com ou sem www.), incluindo também o protocolo correto (http ou https) e certificando-se que todos os URLs acabam com ou sem uma barra final.

12. Parâmetros de URL

Os parâmetros de URL são utilizados para rastrear o comportamento dos usuários no site (IDs de sessão), fontes de tráfego (IDs referenciadoras) ou para dar aos usuários o controle do conteúdo na página (classificação e filtragem).

O problema dos parâmetros de URL é que o Google vê cada valor de parâmetro único como uma nova URL que aloja a mesma coisa, o que significa que você poderá ter um problema de conteúdo duplicado.

Por vezes, o Google consegue reconhecer essas URLs e agrupá-las em conjunto.

Depois, decide algoritmicamente qual URL é a melhor representação do grupo e usa ela para consolidar os sinais de ranking e apresentar em resultados de busca.

Você pode ajudar o Google a reconhecer a melhor URL usando a tag (rel=”canonical”).

Use a Ferramenta de Parâmetros de URL no Google Search Console para dizer ao Google como os seus parâmetros de URL afetam o conteúdo das páginas e como rastrear URLs com parâmetros.

Utilize essa ferramenta com muito cuidado, pois você pode facilmente impedir o Google de rastrear páginas que você quer indexar se as suas definições de rastreamento forem excessivamente restritivas, especialmente se tiver URLs com parâmetros múltiplos.

13. Underscores nos URLs

Utilize hífens para separar as palavras em suas URLs.

O Google considera hífens (estes-são-hífens) como separadores de palavras, mas não os underscores (estes_são_underscores).

14. Fatores limitantes (Flash e Frames)

Flash deveria ser apenas usado para específicos aperfeiçoamentos.

Apesar do conteúdo em Flash ter, frequentemente, melhor aparência, ele não pode ser indexado corretamente pelos mecanismos de busca.

Não falarei muito sobre Flash nessa lista de dicas rápidas de SEO, pois em 2020 essa tecnologia foi extinta.

Frames podem causar problemas na sua página, pois os motores de pesquisa não rastreiam ou indexam o conteúdo dentro delas.

Evite frames sempre que possível e use uma tag (noframes) se você tiver que usá-las.

15. Blog

Se você tem um E-commerce, Vitrine virtual ou site com conteúdo estático, sem atualizações constantes, a melhor das dicas rápidas de SEO que eu posso te dar é iniciar um blog.

Ele é uma ótima maneira de interagir com o seu público, aumentar a sua visibilidade online e suas conversões, atraindo tráfego qualificado a partir de novas fontes de conteúdo relevante ao seu nicho.

16. Design Responsivo

Sites orientados para utilização em qualquer dispositivo, seja uma SmartTV, PC, Notebook ou dispositivos móveis, facilitam para os usuários a conclusão de objetivos e tarefas comuns e usam um design ou modelo que é consistente em todos os dispositivos, usam um design para a web Responsivo.

Otimize o Layout de seu site para se adaptar tanto a uma tela de 50″ quanto uma de 4″.

Para quem utiliza WordPress.org, os melhores temas já são desenvolvidos utilizando design responsivo.

17. Visualização Móvel

O número de pessoas usando Web Móvel está tornando-se enorme.

‪‬O seu site deve ser, não só facilmente visualizado, mas também agradável nos dispositivos móveis mais populares.

Se seu site não utiliza design responsivo ao menos considere ter uma versão de seu site desenvolvida especialmente para dispositivos móveis.

18. Preparado para Touchscreen

Sua interface de utilizador deve permitir aos seus visitantes visualizar e clicar facilmente em seus elementos utilizando telas touchscreen.

Para melhorar ainda mais a sua UI (interface de utilizador), utilize tamanhos e espaços entre elementos que facilitem o toque utilizando a ponta dos dedos.

Lembre-se, em dispositivos móveis não existe a seta do mouse.

19. Compatibilidade em Dispositivos Móveis

Evite incorporar qualquer tipo de conteúdo especial, como Flash, Silverlight ou Java, assim o seu conteúdo será facilmente lido em todos os dispositivos.

20. Janela de Visualização para Dispositivos Móveis

Tenha atenção pois a largura (em pixels CSS) do viewport pode variar e a sua página não deveria se basear apenas numa largura especifica de viewport para carregar perfeitamente.

Evite definir grandes larguras absolutas de CSS para elementos de página.

Se necessário, CSS media queries podem ser utilizados para aplicar estilos diferentes dependendo do tamanho do ecrã.

Utilize imagens de tamanho sensato.

21. Velocidade em Dispositivo Móvel

A versão mobile do seu site deve transmitir e renderizar o conteúdo acima da dobra (conteúdo visível sem a necessidade de rolar a página) em menos de 1 segundo.

Isto permite aos utilizadores interagir com a página o mais cedo possível, pois os processadores móveis são menos poderosos do que os processadores de desktop, dicas de velocidade que reduzem o consumo do processador precisam ser abordadas em primeiro lugar.

Reduza o tempo de resposta do servidor, aproveite o cache do navegador, elimine Javascript e CSS de bloqueio de renderização no conteúdo acima da dobra, otimize as imagens, compacte o CSS e o Javascript e utilize a compressão Gzip se possível.

22. Frameworks de Dispositivos Móveis

Ter uma versão mobile ou frameworks que se adaptam é uma parte importante da otimização do seu site pois estas ajudam programadores a criar aplicações que são passíveis de ser utilizadas em diversos dispositivos.

O Blogger e o WordPress disponibilizam para seus usuários por padrão uma versão para exibição de seus blogs em dispositivos móveis.

23. URL amigável e nome de domínio descritivo

Mantenha suas URLs amigáveis e evite nomes de domínios longos se possível.

Um nome de domínio curto e descritivo é melhor reconhecido pelos motores de pesquisa.

O usuário deve ser capaz de olhar a barra de endereço e ter uma clara ideia do conteúdo da página.

Exemplo: https://www.receitasdebolos.com.br/.

Para prevenir roubo de marca, considere registrar o nome do seu domínio como TM.

Não se esqueça de que URLs formam uma parte importante de uma estratégia coerente de SEO.

Use a palavra-chave principal, evite longas URLs e utilize URLs amigáveis, ou seja, conter palavras/frases sugestivas sobre o conteúdo daquela página.

Exemplo de URL não amigável: https://www.receitasdebolos.com.br/arquivo.php?id=1&ref=187.

O endereço acima não traz nenhuma pista do que você vai encontrar ao clicar no link. Não é, portanto, uma URL amigável.

Exemplo de URL amigável: https://www.receitasdebolos.com.br/bolo-floresta-negra.

24. Favicon

Favicons são os pequenos ícones que aparecem ao lado do nome ou URL do seu site em um navegador.

Eles podem ser exibidos na barra de endereços, o título da aba do seu navegador ou favoritos. Verifique se ele está consistente com a sua marca.

25. Página 404 personalizada

Crie em seu site uma bela página de erro 404 para os seus visitantes.

Acessar uma página que não existe mais pode ser frustrante, mas com um pouco de criatividade, bom humor e estratégia você pode criar uma página que irá amenizar essa sensação e você pode incorporar links internos, links patrocinados, formulário de busca interna e etc..

Veja nossa página de erro 404.

26. Tamanho da Página

O tamanho da página afeta a velocidade do seu site. Tente manter o tamanho da sua página abaixo da média global.

um vídeo do próprio Google em que a funcionária Maile Ohye explica para desenvolvedores de sites a importância de um carregamento rápido, afirmando que 2 segundos é a “linha de corte” para sites de e-commerce e que o Google procura carregar as páginas em menos de 0,5 segundos.

Dica: use imagens de tamanho pequeno e otimize o download com gzip.

27. Tempo de Carregamento

O carregamento lento de páginas é uma das maiores reclamações dos usuários da web e nessa lista de dicas rápidas de SEO ela seria a mais importante.

O tempo de Carregamento da Página pode não só afetar o envolvimento dos seus visitantes, retenção e taxas de conversão, mas também pode afetar o seu ranking.

Tempos de carregamento elevados podem ser causados por uma série de coisas, incluindo páginas com código de má qualidade de optimização (cache, consultas MySQL, etc.), problemas no servidor, problemas de rede ou problemas de terceiros (códigos oriundos de publicidade ou de analytics, etc.).

A velocidade do site tem um grande efeito no seu desempenho, afetando a experiência do usuário, taxa de conversão e até mesmo o seu ranking.

Ao reduzir o tempo de carregamento das páginas, os utilizadores são menos propensos a se distrair e os motores de busca são mais propensos a recompensá-lo aumentando sua posição no ranking dos seus SERP.

Veja algumas dicas rápidas de SEO para acelerar seu site ou blog:

  • Habilite em seu servidor o método cache, acelerando a exibição;
  • Não use tabelas aninhadas;
  • Use estilos in-line;
  • Evite excesso de arquivos CSS (mais do que 4);
  • Evite excesso de arquivos Javascript (mais do que 7);
  • Utilize compressão gzip. As taxas de conversão são muito mais elevados para sites que carregam mais rápido que os seus concorrentes com sites mais lentos.

Confira o Google PageSpeed Insights para dicas para acelerar o seu site.

28. Idioma

Certifique-se de que o idioma declarado seja o mesmo idioma detectado pelo Google.

Existem algumas maneiras que você pode definir o idioma padrão no documento exibido.

Podemos definir diretamente via meta tag nativa:

<meta http-equiv="Content-Language" content="pt-br">

Podemos indicar o atributo lang no elemento html logo no início do documento para indicar que todo o conteúdo contido dentro do html está escrito em um determinado idioma.

<!DOCTYPE html>
<html lang="pt-br">
<head>
<title>Título</title>
</head>
<body>
</body>
</html>

Para sites multilíngues, podemos definir a linguagem do conteúdo no código HTML de cada página e especifique o código da linguagem também no URL.

Exemplo: https://www.omeuwebsite.com/pt_BR/meuconteudo.html.

29. Marcação de Dados Estruturados

Marcação de Dados Estruturados é utilizado para gerar Rich Snippets em resultados de motores de busca.

É a maneira que os donos de sites utilizam para enviar informação estruturada para os robots dos motores de busca; Ajudando-os a compreender o seu conteúdo e criar resultados de busca bem apresentados.

O Google suporta vários rich snippets para tipos de conteúdo, como: Relatórios, Pessoas, Produtos, Negócios e Empresas, Receitas, Eventos, Vídeos e Músicas.

Se o seu site tiver um destes tópicos, então sugerimos que faça marcações de dados estruturados (veja mais em Schema.org) usando microdata.

30. Disponibilidade de Domínio

Registre as várias extensões do seu domínio (ex. .com, .com.br, .org, .net, etc.) para proteger a sua marca contra cybersquatters e informe ao Google que todos apontam para o domínio principal que deseja utilizar.

31. Domínios semelhantes

Registre os vários erros de digitação do seu domínio (ex. google.com, gogle.com, goglee.com, etc.) para proteger sua marca de cybersquatters.

32. Atividades dos Servidores

Certifique-se de utilizar bons servidores de hospedagem, que sejam estáveis. Sites que constantemente saem fora do ar e retornam não são bem vistos pelo Google.

33. Endereço IP do Servidor

O seu endereço IP de servidor tem baixo impacto no seu SEO.

No entanto, tente hospedar seu site em um servidor que esteja localizado geograficamente perto de seus visitantes.

Motores de pesquisa levam a geolocalização de um servidor em conta, assim como a velocidade do servidor.

Use DNSstuff para relatórios coerentes no seu servidor.

34. Tecnologias e linguagens de programação

Conheça as tecnologias usadas no seu site.

Alguns códigos podem tornar o seu site lento ou difíceis de interpretar pelos navegadores, causando erros ou falhas na segurança.

Verifique ou peça ao seu webmaster para dar uma olhada nisso.

Nós utilizamos o WordPress, assim temos a certeza de ter uma codificação impecável, pois existe toda uma comunidade aplicada a sempre trazer melhorias de segurança e funcionalidades em novas atualizações que podem ser instaladas automaticamente ao clique de um botão.

35. Ferramentas de Análise

Web Analytics permite a você medir a atividade de um visitante no seu website.

Você deveria ter instalado pelo menos uma ferramenta analítica; duas seria ainda melhor, para confirmar os resultados.

Dicas rápidas de SEO para ferramentas analíticas: Google Analytics, Quantcast, Adobe Analytics, Piwik, Chartbeat, Clicky, ClickTale, etc..

36. Doctype

O Doctype é usado para instruir os navegadores web sobre o tipo de documento que está sendo usado.

Por exemplo, qual a versão do código-fonte em que é escrito o HTML da página.

Declarar o doctype ajuda os navegadores web a processar o conteúdo corretamente.

<!DOCTYPE html>
<html>
<head>
<title>Título</title>
</head>
<body>
</body>
</html>

Especificar a codificação de idioma/caracteres pode evitar problemas com a visualização de caracteres especiais.

37. Segurança SSL

Utilizar um Certificado SSL cria uma ligação encriptada entre o navegador do seu visitante e o servidor do ser site ao adicionar uma camada extra de segurança.

Em 2014, o Google anunciou que HTTPS iria se tornar parte do seu algoritmo de classificação e visto que o seu site não é https://, irá provavelmente ter uma classificação mais baixa que os seus competidores que são HTTPS.

Quando alterar para HTTPS siga estas instruções para uma transição tranquila:

  1. Utilize um emissor sério para comprar o seu certificado SSL;
  2. Redirecione todas as suas páginas HTTP para a versão HTTPS do seu website;
  3. Use HSTS (HTTP Strict Transport Security) nos seus cabeçalhos;
  4. Renove o ser certificado SSL anualmente, antes que expire;
  5. Certifique-se que todo o seu conteúdo (CSS, PNG, etc.) está ligado a HTTPS;
  6. Renove o seu XML sitemap para garantir que os seus URL incluam HTTPS e atualize o seu arquivo robots.txt para fazer referência à nova versão;
  7. Registe a sua versão HTTPS no Google Search Console e Bing Webmasters Tools.

38. Erros de rastreamento

Evite erros de rastreamento do seu site pelo Google.

O relatório de erros de rastreamento do Google Search Console pode fornecer detalhes sobre os URLs do site que o Google não pôde rastrear ou que retornaram um código de erro HTTP.

Dicas Rápidas de SEO Off-Page

39. Qualidade de Backlinks

Backlinks são links que apontam para o seu site a partir de outros sites.

Eles são como cartas de recomendação para o seu site.

Já que este fator é um dos fatores cruciais, não poderia faltar também em minha lista de dicas rápidas de SEO e recomento que você monte já uma estratégia para melhorar a quantidade de qualidade dos backlinks.

Isto inclui o número total de backlinks junto com o número de domínios que fazem ligação, bem como a classificação da qualidade global dos backlinks que apontam para o site.

40. Social

O impacto das Mídias e Redes Sociais é enorme para certas indústrias.

Utilize a vantagem desta versão digital do marketing boca-a-boca.

Para isso, crie perfis de Mídias Sociais associados a seu site no Facebook, Twitter, Pinterest, LinkedIn, Instagram e outros sites de interesse de seus consumidores, relacione-se com sua audiência e crie uma consistente base de fãs.

Você também pode usar seu site para aumentar sua popularidade nas plataformas sociais.

41. Página no Facebook

O Facebook é uma parte essencial do Marketing Digital moderno, seja qual for o seu tipo de negócio.

Crie sua Fanpage e conecte ela ao seu site ou blog.

Use o Facebook Insights para otimizar as suas postagens no Facebook de modo a maximizar o envolvimento e o tráfego no seu site.

42. Conta no Twitter

O Twitter é simplesmente algo gigantesco. Milhões de usuários americanos acessam seus perfis nele todos os meses e 310 milhões de pessoas acessam o Twitter em todo o mundo.

E o melhor é que existe uma correlação positiva entre a utilização dessa mídia social, o nível de educação e o rendimento familiar.

Ao não ter uma conta do Twitter, você pode estar perdendo um público enorme.

Crie uma conta no Twitter para a sua marca e faça a ligação ao seu site para evitar o roubo da identidade da marca e ajude a tornar o seu marketing nas mídia sociais mais eficaz.

43. Google Meu Negócio

Ser ativo no Google Meu Negócio é importante para reforçar a sua marca, influenciar a sua posição nos motores de pesquisa e interagir com os seus contatos.

Considere ter fotos, vídeos, incentive os depoimentos, crie um F.A.Q. com as perguntas mais comuns e posts comentando sobre sua empresa.

44. Diretórios Locais

A diversos sites ao estilo Listas Amarelas na internet.

Esses Diretórios de Links geralmente possuem alguns critérios para inscrição, avaliando seu site para ver se está dentro de suas especificações antes de adicioná-lo a suas listas.

Isso passa uma certa credibilidade ao Google.

Alguns deles funcionam como Guias Comerciais ou Classificados e podem ser uma ótima ferramenta para se relacionar com seu público-alvo, divulgar seu site bem como seus serviços, contatos, produtos, ligando seu site a uma determinada região na qual sua empresa ou negócio atua.

Conclusão

Fim da lista! Pronto para aplicar essas dicas rápidas de SEO no seu site?

Trabalhe-as de forma sensata e natural e a consequência será um bom posicionamento.

Evite técnicas artificiais de SEO, as chamadas técnicas Black Hat, que tentam enganar os mecanismos de busca.

Por mais que você consiga resultados imediatos, não são estratégias sustentáveis a longo prazo e só penalizarão seu site.

Definitivamente, não temos controle sobre o algoritmo dos buscadores.

Talvez alguns desses fatores façam bastante diferença, outros não.

O importante é que você mesmo teste com o seu site, o seu mercado, e verifique o que dá mais resultado.

É importante também manter-se atualizado sobre SEO.

Novos fatores são incluídos nos algoritmos dos mecanismos de busca com frequência.

Você possivelmente não vai conseguir trabalhar todos eles, porém é sempre bom estar atento.

Espero ter ajudado, até mais e sucesso!

Você também vai gostar:

Você quer ser VIP?

VOCÊ QUER SER VIP?!

Obtenha acesso instantâneo à minha Biblioteca de Recursos GRÁTIS. Receba as Últimas Notícias, Ofertas, DescontosBônus e Conteúdos Exclusivos que não são compartilhados em nenhum outro lugar.

Digite seu nome e endereço de e-mail AGORA e seja VIP ⤵︎

O que você achou deste conteúdo? Têm alguma dúvida ou sugestão? Comenta aí!

Nenhum Comentário, até o momento.

Deixe um comentário