O Que é Marketplace e Vale a Pena Realmente Vender seus Produtos Neles?

Você sabe o que é um marketplace e o que significa vender através deles?

O que todas as lojas de comércio eletrônico estão sempre buscando é aumentar as vendas e alcançar o maior número possível de clientes em potencial da maneira mais rápida possível.

Em meio a essa busca, elas se deparam com várias ferramentas diferentes que podem auxiliá-las.

Uma delas são os marketplaces.

Eles podem ser uma ótima opção para o comércio eletrônico, mas antes de você participar, você precisa analisar todas as variáveis ​​envolvidas na tomada dessa decisão.

Afinal, vender mais é sempre uma coisa boa, mas não a todo custo.

Continue lendo e esclareça todas as suas dúvidas.

MINI CURSO GRÁTIS

Pinterest Marketing para Iniciantes

Se você tem um negócio na internet seja como afiliado ou um e-commerce, fique ligado, pois estará diante de um oceano azul ainda inexplorado!

O que é um Marketplace?

Vamos começar com a definição básica:

Um marketplace é um shopping virtual que funciona como intermediário entre compradores e vendedores.

Ele é um tipo de plataforma de e-commerce no qual as informações sobre produtos ou serviços são fornecidas por vários fornecedores e as transações são processadas pelo operador do marketplace que cobra uma taxa sobre cada venda.

Por exemplo, um lojista que deseja expandir seu negócio e vender pela internet, mas não tem recursos para montar uma estrutura de e-commerce própria, pode se cadastrar em uma plataforma de marketplace online e não se preocupar com a parte técnica da coisa.

Você entenderá isso melhor com um exemplo da vida real e não virtual.

Pense no que realmente é um shopping center físico.

É o lugar para onde milhares de clientes vão, porque acham conveniente comprar em um só lugar com uma grande variedade de lojas. E você, como dono de uma loja, estaria interessado em estar, porque além de haver muitos clientes indo para lá todos os dias, também há toda a estrutura necessária.

Um marketplace é a mesma coisa no mundo do comércio eletrônico. Parece intrigante, certo?

Prepare-se porque vamos dar um passeio pelos maiores e mais conhecidos “shopping centers” do mundo e do Brasil!

Os Marketplaces de Produtos Mais Famosos (e Acessíveis)

Falar sobre marketplaces significa falar sobre a Amazon, a mais famosa do mundo. Mas existe vida além do gigante do e-commerce que chegou no Brasil batendo de frente com outros grandes e famosos concorrentes locais.

1. Americanas.com

O marketplace Americanas.com é um dos principais marketplaces do Brasil, faz parte do maior site de varejo do país, que por sua vez, é um dos integrantes do maior grupo de varejo brasileiro, o grupo B2W.

Muito procurado por lojistas e proprietários de e-commerces, é uma das melhores opções para quem pretende vender online e ampliar as chances de ser encontrado e ter seus produtos selecionados para compra.

2. Mercado Livre

O Mercado Livre é o principal marketplace puro em atividade no Brasil e está entre os maiores canais de e-commerce no mundo.

Muita gente procura por como anunciar no Mercado Livre diariamente e o site destaca-se como uma das plataformas mais utilizadas por lojistas e comerciantes para realizar vendas online, contando com mais de 1500 lojas oficias de grandes marcas.

Atualmente existem mais de 2800 categorias e subcategorias de produtos que podem receber anúncios, representando uma excelente oportunidade para conquistar mais clientes e ampliar o alcance geográfico do seu negócio.

3. Zoom

O Zoom é um marketplace um pouco diferente, sendo um dos principais comparadores de preços do Brasil, e busca oferecer o melhor apoio para seus compradores, dispondo de lojas confiáveis como parceiros.

Possuem em seu site especialistas que recomendam e tiram dúvidas sobre produtos, além de dicas e artigos com criação de reviews de produtos.

4. Amazon

E, por último, mas não menos importante, a Amazon, a mãe de todos os marketplaces e o benchmark que deve ser mencionado quando se trata deste tópico.

A maioria das pesquisas na Internet com intenção de compra é realizada na Amazon, por isso é a opção mais atraente, a priori, se você estiver pensando em vender em um marketplace.

Outras opções igualmente interessantes:

  • Magazine Luiza: a Magalu, como é conhecida a plataforma digital, assumiu posição de certo destaque no cenário de marketplaces no Brasil. São mais de 35 milhões de acessos por mês.
  • Netshoes: é a maior plataforma de materiais esportivos da América Latina, o que a torna uma excelente opção para quem trabalha com artigos de moda fitness ou produtos voltados para a prática de esportes.
  • Walmart: a maior empresa de varejo do mundo, com uma imagem tão consolidada que os consumidores não pensam duas vezes antes de confiar em lojas vinculadas ao seu nome.

Como você pode ver, existem várias opções e trabalhar com elas pode significar a expansão do seu comércio eletrônico.

Vantagens e Desvantagens de Vender em um Marketplace

Vender através de um marketplace é uma opção muito interessante para obter acesso a um público mais amplo, mas cuidado: nem tudo o que reluz é ouro com essas multiplataformas.

Você precisa verificar as letras pequenas para evitar tomar decisões erradas.

Então, vamos analisar as coisas em detalhes.

Vantagens: Por que você deseja seu comércio eletrônico em um marketplace

Como explicamos anteriormente, a maior vantagem é o número de clientes que têm acesso aos seus produtos através do mercado.

Mas isso não é tudo.

1. VOCÊ TEM ACESSO A UM VOLUME MAIOR DE TRÁFEGO (MESMO INTERNACIONAL)

Com seu comércio eletrônico em um mercado, o número de pessoas que podem visitá-lo é muito maior do que o número de pessoas que aprenderiam sobre você apenas com seu comércio eletrônico. Além disso, você pode aumentar sua demanda internacional sem nenhum esforço adicional necessário.

2. VOCÊ SE LIBERTA DO LADO TÉCNICO

Você não precisa ter seu próprio site para vender no mercado.

As próprias plataformas oferecem um espaço no qual você pode adicionar seu catálogo e não precisa se preocupar com tarefas “secundárias”, facilitando o gerenciamento de todos os seus:

  • Cartões de produtos;
  • Métodos de Pagamento;
  • Logística (cuidado, nem todos eles gerenciarão a logística da sua loja, mas alguns oferecem esse serviço por uma taxa fixa ou comissão por venda);
  • Publicidade.

Você só precisa se preocupar em gerenciar seu catálogo. Fácil né?

3. É MAIS BARATO DO QUE TER SUA PRÓPRIA LOJA

Como você não precisa ter seu próprio site, você pode economizar muitas despesas (e horas de trabalho) relacionadas ao marketing digital, pois o mercado fornece a estrutura necessária para começar a vender assim que você se registrar.

Então, por exemplo, você não precisa investir em:

  • Um nome de domínio;
  • Hospedagem;
  • Web Design;
  • Redação para sua página inicial e cartões de produtos;
  • Posicionamento SEO;
  • Ou vários outros aspectos.

Evidentemente, você não terá controle total da imagem da sua empresa online, pois ela será limitada pelas opções oferecidas pelo mercado. Em troca, você não precisará gastar tempo lidando com esse aspecto do negócio.

4. AUMENTA SUA CREDIBILIDADE E CONFIANÇA DOS CLIENTES

Uma das objeções de vendas mais comuns para um comércio eletrônico é a falta de confiança que os clientes podem ter ao concluir sua compra e inserir os detalhes do pagamento.

Quando você vende através de um mercado, seu prestígio ajuda você, pois a relutância de seus clientes é reduzida devido às garantias oferecidas pela plataforma.

Além disso, se os clientes decidirem devolver o produto ou apresentar uma reclamação, o mercado ficará encarregado dele, o que também significa economizar tempo e dinheiro.

É uma ótima notícia se você tem uma loja pequena, se você acabou de abrir ou se ainda tem uma imagem de marca relativamente fraca .

Desvantagens: o que verificar antes de escolher um mercado para seu comércio eletrônico

Obviamente, todas essas vantagens têm um preço, porque o mercado também é um negócio que deseja obter lucros.

Então agora vamos dar uma olhada no lado não tão bonito.

1. ELES COBRAM UMA COMISSÃO POR CADA VENDA

Dependendo do mercado, a comissão para cada produto vendido pode variar de 5 a 20%.

Você deve ter isso em mente ao calcular a rentabilidade de seus produtos e antes de decidir se o mercado vale a pena ou não.

2. VOCÊ ESTÁ LADO A LADO COM SEUS CONCORRENTES

Embora os concorrentes nem sempre sejam um fator negativo, a verdade é que, entre diferentes vendedores em um mercado, pode haver guerras de preços e produtos copiados que acabam sendo um pesadelo real.

Devido ao alto número de concorrentes em apenas um lugar, você terá que revisar constantemente seus preços, o que poderá reduzir suas margens.

3. VOCÊ É FORÇADO A ABRIR MÃO DO CONTROLE SOBRE OS DADOS PESSOAIS DE SEUS CLIENTES

Ao vender através de uma plataforma, você precisa entregar todas as informações sobre seus clientes.

Isso impede que você lance estratégias de redirecionamento ou assinatura que, de outra forma, o ajudariam a aumentar as vendas em um comércio eletrônico normal.

4. VOCÊ PERDE TUDO QUANDO DECIDE SAIR DO MERCADO

Se você decidir sair da plataforma e focar (ou promover) suas vendas por meio de seu próprio comércio eletrônico, tudo o que você fez será deixado para trás, incluindo:

  • Descrições de produtos;
  • Histórico de vendas;
  • Estatísticas sobre pedidos, vendas e devoluções;
  • Dados do cliente;
  • Revisões e recomendações.

Como você já sabe, as informações sobre seus clientes e pedidos são essenciais para criar uma estratégia de vendas eficaz e mais lucrativa; portanto, perder todos esses dados pode se transformar em um obstáculo real se você decidir se libertar.

5. O MERCADO PODE MANTER SEU NICHO

Se um grande mercado percebe um produto ou nicho lucrativo, tem significativamente mais recursos à sua disposição para monopolizar os negócios.

O mercado pode exercer muita pressão sobre seus fornecedores, se eles estiverem interessados ​​no produto, portanto, tente encontrar um equilíbrio entre se sair bem e não se destacar demais.

6. PODE HAVER CANIBALIZAÇÃO E CONFLITO COM SEU PRÓPRIO COMÉRCIO ELETRÔNICO

Se você tiver dois canais de venda (seu próprio comércio eletrônico e o mercado), é possível que a política de preços imposta pelo mercado faça com que os preços de seu próprio site sejam mais altos do que os oferecidos pelo mercado.

Isso pode danificar:

  • A sua imagem de marca;
  • Satisfação dos seus clientes diretos;
  • Sua lucratividade (as vendas no mercado oferecem lucros mais baixos devido a comissões e taxas de armazenamento e logística ).

Portanto, você terá que ter cuidado antes de começar a trabalhar com eles. Verifique as condições e calcule cuidadosamente suas margens de lucro.

Então o Que Você Deveria Fazer?

É verdade que parece relativamente fácil e lucrativo vender produtos por meio de um marketplace.

Se você tiver um orçamento limitado, os mercados são uma ótima opção para aumentar o seu comércio eletrônico.

No entanto, você sempre deve ter em mente que ter controle sobre seus produtos e clientes é sempre o melhor caminho a percorrer.

Quando você baseia tudo em uma plataforma de terceiros, corre o risco de perder o controle sobre seus negócios.

Por isso, se você decidir abrir esse canal de negócios, recomendamos que você primeiro lance sua própria plataforma de comércio eletrônico e use o marketplace e comparadores de preços para ter mais de uma loja e o nome das gigantes do mercado vendendo seus produtos também.

Follow my blog with Bloglovin

Você também vai gostar:

Você quer ser VIP?

VOCÊ QUER SER VIP?!

Obtenha acesso instantâneo à minha Biblioteca de Recursos GRÁTIS. Receba as Últimas Notícias, Ofertas, DescontosBônus e Conteúdos Exclusivos que não são compartilhados em nenhum outro lugar.

Digite seu nome e endereço de e-mail AGORA e seja VIP ⤵︎

O que você achou deste conteúdo? Têm alguma dúvida ou sugestão? Comenta aí!

Nenhum Comentário, até o momento.

Deixe um comentário